Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

100 Million Feelings

100 Million Feelings

13 de Maio, 2020

Gratidão.

"Eu não fugi das minhas tempestades. Eu fiquei para lavar a alma e de chuva em chuva aprendi a ser sol."
@opequenomestre
 
 
 
A minha vida está completamente do avesso neste momento. 
(Escrevi e apaguei esta frase inúmeras vezes). 
 
Tenho de aceitar que é a realidade e que é assim que tenho de (sobre)viver e há pouco que possa fazer acerca disso. A vida é traiçoeira e a doença mais ainda. Quando tu achas que estás a seguir por um bom caminho e que está tudo no rumo certo, a vida mostrou-me exatamente o contrário. 
Eu quero acreditar que já nada me deita abaixo, que já sou forte o suficiente para aguentar sem qualquer tipo de ajuda. 
Bastaram duas semanas para ficar completamente destruída por dentro. 
 
Eu não tenho uma vida difícil, não vou mentir. Eu tenho um problema que me faz pensar que tenho uma vida difícil. E apesar de estar a ultrapassar isto à imenso tempo, ainda é complicado aceitar e encarar o problema que eu tenho. 
E quando nestas duas semanas eu acordava as 4h ou 5h da manhã e não dormia mais porque o aperto no peito era mais forte, a vontade de chorar era enorme e chorava até não aguentar mais. A dor no fundo da barriga permanecia todo o dia e a cada dia que passava se tornava mais difícil sair da cama. 
 
E em lágrimas eu só me perguntava "Porquê? O que é que eu fiz para merecer isto? O que está a acontecer na minha vida para me sentir assim?". 
A nossa mente é um sitio tão perigoso, é tão mau passarmos por isto. 
 
Todos os dias acordava a chorar e tinha o meu namorado agarrado a mim e dizia-me "Vai tudo correr bem. Tu estás bem, contraria esses pensamentos negativos" e em choro compulsivo lhe dizia que era impossível e saía da cama a chorar, ia-me preparar a chorar, ia para o trabalho a chorar e lá tinha de me manter forte e simplesmente fazer o meu trabalho.
Mas como é possível eu fazer o meu trabalho quando a minha cabeça estava a explodir? Como é possível eu gerir a minha equipa se nem a minha própria cabeça conseguia gerir? 
Só eu sei o quão desiludida estou comigo por sentir que de alguma maneira estou a falhar no meu trabalho. Mas tive de um dia parar. E pensei "acabou".
 
Não me posso sentir mais assim. Eu não sabia (e não posso dizer que agora sei) o que era acordar plena. Acordar, sair da cama e sentir-me bem. E tentava mesmo muito enganar-me a mim própria, escrevia para tentar ajudar os outros através da minha história e era só a minha mente a pregar-me mais uma partida. Nada daquilo era verdade e acabei por sentir isso da pior maneira possível. 
Escrevia e parecia que no meu mundo tudo estava bem e quando caía na realidade estava um inferno. Um inferno que só eu o sentia.
 
E por hoje querer falar em gratidão, é irónico estar a falar em gratidão quando estou ao mesmo tempo a ultrapassar o meu maior problema pessoal - a minha depressão. Sinto-me eternamente grata pelas pessoas de verdade e lealdade que eu tenho do meu lado. 
A minha família, o meu namorado, as minhas amigas. 
As mensagens de preocupação, as mensagens só e simplesmente para me verem sorrir. 
Não há palavras suficientes para o amor que eu recebo diariamente das pessoas que tenho ao meu lado.
 E sei que há tanta gente que está a ultrapassar situações semelhantes e piores e não tem ninguém. 
A essas pessoas só lhes mando o maior amor, o maior abraço e que estarei sempre de braços abertos para, dentro dos possíveis, ajudar. Nem que seja só a conversar. 
 
Estamos juntos. ❤

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.