Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

100 Million Feelings

100 Million Feelings

13 de Maio, 2020

A nova realidade.

Em Dezembro do ano passado decidi mudar a minha vida por completo. Despedi-me do meu emprego com o propósito de me concentrar no meu bem estar e felicidade. 
E tu perguntas: não gostavas do que faziasAdorava!
Trabalhava com pessoas muito especiais para mim, eram como uma família. Ali era a minha segunda casa. 
Mas faltava-me algo: não conseguia me sentir realizada

Qualquer pessoa no meu cargo e no meu lugar sentir-se-ia realizado porque consegui atingir um nível que muitas pessoas tem de trabalhar anos para o conseguir.
Só que o real problema é que eu e aquele posto não estávamos sincronizados. 
E por isso preferi pôr a minha felicidade em primeiro lugar e o estatuto/poder de lado. 


Durante o tempo em que ali trabalhei sofri imenso. 
Sofri porque não estava preparada para o desafio. 
Sofri porque tinha medo de enfrentar o meu destino.
Sofri porque estanquei e não consegui ir em frente.
Sofri porque não resistia aos "monstros" que criei na minha cabeça.
E então fui completamente abaixo. Atingi o meu limite e fui em busca do que realmente preciso para a minha felicidade. 
Ainda assim engane-se quem acha que iria ser mais fácil. Não foi e não é.


É de uma revolta gigante eu ter deixado tudo para trás das costas e não poder fazer nada
Tinha a minha vida organizada para que pudesse começar a minha formação, para iniciar a praticar e trabalhar na área. E tive de pôr a minha vida em pausa simplesmente.
E tal como eu, existem milhares de pessoas na mesma situação,
 MAS, não consigo deixar de me sentir desta forma.
Estamos a viver uma fase muito complicada e fico frustrada porque sinto que estou a perder imenso tempo da minha vida.
É claro que tento trabalhar no meu bem estar, no meu futuro e há diversas maneiras de enriquecermos enquanto seres humanos através do online
Contudo, sinto-me várias vezes um pouco "inútil". 

Esta pandemia chegou e virou as nossas vidas do avesso, para nos fazer perceber que nada é certo e muito menos que as coisas são como queremos ou ambicionamos. 
Não será nada fácil ultrapassar, irão surgir diversos obstáculos e temos de nos adaptar a esta nova realidade.
E temos de acreditar que vamos dar a volta por cima.

Temos de dar!!

 

 

13 de Maio, 2020

Fica tudo bem.


Estamos a atravessar uma grande luta. Ninguém estava preparado para o que se está a passar.

Acho que todos sentimos uma angustia enorme dentro de nós, sentimos aquele aperto no peito sempre que vemos as noticias e sentimo-nos impotentes por não conseguirmos fazer nada para mudar o rumo de tudo isto.

Estamos a viver no completo desconhecido. E ninguém nos ensinou a viver nesta incerteza de quando vai tudo voltar a normalidade.

Não sabemos quando vamos voltar a trabalhar ou estudar, a poder abraçar a nossa família e amigos.

E é triste ver que ainda há quem não entenda o perigo da situação e brinque com a sua vida, e pior ainda, com a vida dos outros.

 

Parte-me o coração não poder estar com os meus. Poder abraça-los. Dar e receber carinho.

Parte-me mais ainda o coração ver nas noticias a exaustão dos médicos, enfermeiros e auxiliares de saúde a lutar pelos infetados, a trabalhar horas e horas seguidas e no final não poderem muitas vezes voltar para a sua própria casa e para junto da sua família, para os proteger.

Parte-me o coração saber que se na infelicidade de quem morre não poder sequer se despedir da família, não tem ninguém do lado delas para poder partir em paz. É triste para as famílias que perdem alguém porque não conseguem também se despedir.

Tínhamos tudo, éramos os os mais felizes, éramos os mais ricos e não percebíamos isso.

 

Agora percebemos a importância que um simples abraço tem, um beijo, um carinho tem. Agora percebemos o que é realmente importante e que precisamos de tão pouco para sermos felizes.

Tínhamos a nossa vida, não tínhamos tempo para parar, não conseguíamos arranjar tempo para nós, para a nossa família, para os nossos amigos. As futilidades eram muitas vezes mais importantes, passar o tempo ao telemóvel era mais interessante do que simplesmente conversar.

Agora fomos obrigados a ter tempo mas não temos as pessoas, e agora percebemos a importância das pessoas na nossa vida, a importância da presença e de estar presente. A saudade é enorme!

 

 

Mas tudo isto irá passar. Vai demorar, vai custar mas vamos conseguir ultrapassar tudo isto e olhar para trás e ser ainda mais agradecidos. Agradecidos por estarmos vivos e prontos para viver a nossa vida ao máximo. Porque sei que quando isto tudo terminar vamos querer viver com mais intensidade para recuperar o “tempo perdido”.

Agora resta apenas ficar em casa, sair só mesmo se for necessário e ter todas as medidas de segurança e higiene.

Aproximam-se tempos difíceis, uma guerra muito complicada. 

Mas no final, fica tudo bem.

13 de Maio, 2020

Sorri.

O que te faz sorrir? O que te faz sentir feliz?

Já te perguntaste isso mesmo? Já pensaste nisso hoje ou esta semana? 
Estás num ponto da tua vida que te sentes completamente feliz? Sentes-te feliz enquanto mulher? Sentes-te realizada enquanto mulher? 
 
A nossa felicidade muitas vezes é posta de parte porque temos de ser a mulher "perfeita". Temos de ser a namorada perfeita, queremos ser a mãe, a filha ou a trabalhadora perfeita. Metemos tudo o resto em primeiro lugar. E por vezes esquecemos o mais importante - A nossa felicidade. 
A tua felicidade importa. O teu bem estar importa. 
 
Nunca subestimes o teu valor. Ninguém merece esse esforço sequer. Eu para ser um bom exemplo do que quer que seja, tenho de ser um bom exemplo para mim própria. Tal como tu. Não sejas vitima do "tens de te adaptar a sociedade e seguir os padrões que a mesma indica". Tu és tu. És única e não deves ceder a pressão nenhuma para mudar a tua essência. É isso que faz de ti alguém especial.  
 
Não te preocupes em ser perfeita e de fazer tudo na perfeição. Isso é uma seca. E pouco real. 
 
Sê tu própria e não tenhas medo do que os outros possam pensar de ti. 
Desde quando é que isso é importante? 
Desde quando é que a opinião dos outros define quem tu és? 
 
Sê livre, sê quem tu quiseres. Sê feliz. 
Sem limites!!
13 de Maio, 2020

Gratidão.

"Eu não fugi das minhas tempestades. Eu fiquei para lavar a alma e de chuva em chuva aprendi a ser sol."
@opequenomestre
 
 
 
A minha vida está completamente do avesso neste momento. 
(Escrevi e apaguei esta frase inúmeras vezes). 
 
Tenho de aceitar que é a realidade e que é assim que tenho de (sobre)viver e há pouco que possa fazer acerca disso. A vida é traiçoeira e a doença mais ainda. Quando tu achas que estás a seguir por um bom caminho e que está tudo no rumo certo, a vida mostrou-me exatamente o contrário. 
Eu quero acreditar que já nada me deita abaixo, que já sou forte o suficiente para aguentar sem qualquer tipo de ajuda. 
Bastaram duas semanas para ficar completamente destruída por dentro. 
 
Eu não tenho uma vida difícil, não vou mentir. Eu tenho um problema que me faz pensar que tenho uma vida difícil. E apesar de estar a ultrapassar isto à imenso tempo, ainda é complicado aceitar e encarar o problema que eu tenho. 
E quando nestas duas semanas eu acordava as 4h ou 5h da manhã e não dormia mais porque o aperto no peito era mais forte, a vontade de chorar era enorme e chorava até não aguentar mais. A dor no fundo da barriga permanecia todo o dia e a cada dia que passava se tornava mais difícil sair da cama. 
 
E em lágrimas eu só me perguntava "Porquê? O que é que eu fiz para merecer isto? O que está a acontecer na minha vida para me sentir assim?". 
A nossa mente é um sitio tão perigoso, é tão mau passarmos por isto. 
 
Todos os dias acordava a chorar e tinha o meu namorado agarrado a mim e dizia-me "Vai tudo correr bem. Tu estás bem, contraria esses pensamentos negativos" e em choro compulsivo lhe dizia que era impossível e saía da cama a chorar, ia-me preparar a chorar, ia para o trabalho a chorar e lá tinha de me manter forte e simplesmente fazer o meu trabalho.
Mas como é possível eu fazer o meu trabalho quando a minha cabeça estava a explodir? Como é possível eu gerir a minha equipa se nem a minha própria cabeça conseguia gerir? 
Só eu sei o quão desiludida estou comigo por sentir que de alguma maneira estou a falhar no meu trabalho. Mas tive de um dia parar. E pensei "acabou".
 
Não me posso sentir mais assim. Eu não sabia (e não posso dizer que agora sei) o que era acordar plena. Acordar, sair da cama e sentir-me bem. E tentava mesmo muito enganar-me a mim própria, escrevia para tentar ajudar os outros através da minha história e era só a minha mente a pregar-me mais uma partida. Nada daquilo era verdade e acabei por sentir isso da pior maneira possível. 
Escrevia e parecia que no meu mundo tudo estava bem e quando caía na realidade estava um inferno. Um inferno que só eu o sentia.
 
E por hoje querer falar em gratidão, é irónico estar a falar em gratidão quando estou ao mesmo tempo a ultrapassar o meu maior problema pessoal - a minha depressão. Sinto-me eternamente grata pelas pessoas de verdade e lealdade que eu tenho do meu lado. 
A minha família, o meu namorado, as minhas amigas. 
As mensagens de preocupação, as mensagens só e simplesmente para me verem sorrir. 
Não há palavras suficientes para o amor que eu recebo diariamente das pessoas que tenho ao meu lado.
 E sei que há tanta gente que está a ultrapassar situações semelhantes e piores e não tem ninguém. 
A essas pessoas só lhes mando o maior amor, o maior abraço e que estarei sempre de braços abertos para, dentro dos possíveis, ajudar. Nem que seja só a conversar. 
 
Estamos juntos. ❤
13 de Maio, 2020

Agora.

Como já é do vosso conhecimento eu voltei a escrever no meu blog numa fase menos boa da minha vida. Foi num momento muito frágil que decidi abrir o meu coração e sem filtros falar acerca dos meus problemas com a ansiedade e com a depressão.
E mesmo sabendo do bem que me fazia desabafar e falar acerca dos meus problemas e mais importante ainda, de como me sentia, era algo que eu tinha muita dificuldade.
Não foi uma decisão fácil de tomar, não é fácil falar dos meus problemas numa altura em que os tentava esconder de toda a gente.

Mas pus todo o medo de lado, o medo do preconceito e decidi que era naquele dia, 20 de junho, que eu ia escrever para toda a gente o que sentia e que a partir dali era o recomeço. O recomeço da minha vida e da minha felicidade.
Mas não é assim tão simples, não é estalar os dedos e está tudo bem e sinto-me no auge da minha felicidade. Há dias bons, há dias maus. Mas em todos eles tento sempre tirar algo de bom, algo positivo.
E como foi recomeçar? Brutalmente difícil. Sim, juntei duas palavras muito duras porque foi assim mesmo. Foi duro e ainda é muito duro. Ansiedade e depressão infelizmente é algo que te marca para a vida, é algo que podes tentar superar mas é como uma cicatriz que até a podes tentar disfarçar mas vai ficar ali para sempre no teu corpo. As sequelas de uma depressão formam uma "cicatriz" que fica para sempre na tua cabeça que não a vês mas que a sentes. É um marco na tua vida e que um dia vais olhar para trás e pensar: "Foi difícil, sofri muito mas estou aqui de cabeça erguida e mais forte que nunca".

Eu acredito que a criação deste blog foi uma salvação para mim mas também quero que seja uma salvação para muitas outras pessoas. Eu escrevo tudo o que me vai na alma, escrevo sobre mim, sobre a minha vida, sobre os meus problemas mas escrevo para ti que estás a ler isto. E cada vez quero escrever mais e mais, cada vez gostava de ajudar mais e mais pessoas.
Esse é o meu objetivo, esse é o objetivo deste blog.
E hoje sinto-me muito grata por poder ter esta oportunidade, por saber que os meus textos são lidos por muitas pessoas. E mais grata me sinto por todo o apoio, por todo o carinho que recebo e por todas as palavras que me dão força para continuar.

Agora, sinto-me mais livre, mais feliz e muito mais leve.

13 de Maio, 2020

Mudança.

Mudança. 

Uma palavra tão pequenina mas que influencia tanto a nossa vida. E não tem mal nenhum nisso. A mudança é necessária para o nosso crescimento pessoal. 
Se olhar para trás e considerar todas as mudanças que aconteceram na minha vida, consigo perceber o quão normal e bom certas mudanças foram boas para mim.
 
E é óbvio que nem todas as mudanças foram benéficas, houveram mudanças na minha vida que me fizeram perder oportunidades, amigos, família mas em contrapartida ganhei sabedoria, consciência, maturidade e ganhei outras pessoas que me fizeram aceitar essas mudanças. Se a vida assim o quis foi porque assim tinha de ser. 
Volto a referir - a vida é muito difícil, a vida tem muitas fases. Nada é perfeito e temos de respeitar a vida como ela a é.
É impossível progredir sem haver mudança e temos de ter a coragem de mudar e perceber que não há problema nenhum nisso. Está tudo bem. A mudança assusta mas traz o que necessitas.
 
Seja o que for, no teu trabalho, na tua relação, uma amizade, se tens vontade de mudar, se achas que precisas de mudar, muda. Sem medo. Certas mudanças magoam mas por vezes continuar onde estamos magoa ainda mais e tens de escolher. Preferes a dor da mudança ou a dor de nada mudar? 
 
Se tens de pôr um ponto final, põe.
Se tens de seguir em frente, segue.
Se tens de lutar, luta.
 
Se não o fizeres, não podes esperar progressos ou resultados. Por mais difícil que pareça a batalha, não há melhor sabor que o da vitória da guerra. 
 
Tu consegues! 😄
13 de Maio, 2020

No rain, no flowers

Hoje vi uma imagem que tinha uma mensagem que me marcou e que me fez refletir todo o dia até este momento em que estou a escrever este texto.

 Nós vivemos num mundo cheio de stress, cheio de pressa em fazer tudo, em chegar a todo o lado. Seja no trabalho, seja na nossa vida pessoal vivemos constantemente sob stress e grande parte das vezes não aproveitamos o nosso presente da maneira que gostávamos. Isto porque estamos presos ao passado, a pensar no que podíamos ter feito e não fizemos ou estamos presos ao futuro e estamos constantemente a pensar no que temos de fazer e nos objetivos que queremos cumprir. 
No final de tudo esquecemos do mais importante que é aproveitar o presente. Nós temos uma dádiva, seja ela de Deus ou da própria natureza em estarmos vivos e em podermos viver uma vida digna, onde temos acesso a tudo. Uns mais que outros mas só podermos acordar todos os dias e termos a oportunidade de ir trabalhar, de ir estudar e de viver a nossa vida é priceless
Somos uns sortudos.
Eu só por isso me considero sortuda. Porque tenho a chance, porque sou livre. 
A vida só por si é o maior desafio que alguma vez vais encontrar, a vida é mesmo muito dura. Nada é como imaginamos, nada é como planeamos por isso cada vez faço menos planos e deixo que a vida me surpreenda. 
Mas a vida também nos ensina muito, tudo tem um propósito. Tudo acontece com uma razão e mesmo quando estamos na nossa altura mais escura, nós temos sempre uma luz que nos guia e que nos leva ao caminho certo. Mesmo depois de percorrer muitos caminhos errados. 
Eu acredito muito nisto. A natureza é perfeita nas suas imperfeições, o Raminhos tem toda a razão!
Devemos dar valor aos momentos menos bons da nossa vida porque são esses momentos que nos fazem valorizar os bons momentos que vivemos.
 

"Que as flores nos lembrem porque a chuva era tão necessária."

 

13 de Maio, 2020

Vamos espalhar amor ❤

Bem, ando um pouco desaparecida do blog e não tenho escrito tanto quanto queria, visto que estou de férias, mas tenho andado a tentar descansar ao máximo nesta primeira semana. Como o verão também tirou férias aproveitei para relaxar ao máximo e agora que as baterias já estão meias carregadas (ainda bem que tenho três semanas de férias eheh) estou "back in the game".

Como já estamos em agosto e, supostamente deveríamos, estar no verão acho importante falarmos de padrões de beleza. E padrões de beleza, porque? 
Porque acho que não basta nos aceitarmos como nós somos, nós temos de gostar e até amar o nosso corpo, o nosso cabelo, a nossa cara. Sem filtros e sem maquilhagem. 
Cada vez mais sinto que, maioritariamente mulheres não gostam de si mesmas, eu própria sofro com isso. 
E acho errado pensarmos assim e muitas vezes pensamos assim porque abrimos as redes sociais e há sempre aquelas mulheres que usam mil e um cremes, não tem um pingo de celulite, que não tem borbulhas, que têm tudo no sitio e então desejamos ser assim. Temos de ter noção de uma coisa... Nem tudo que vemos nas redes sociais é a realidade. Ponto número um! 
Hoje em dia há imensas aplicações que estão ao alcance de cada um e acreditem, estas aplicações fazem milagres. Mas não é nisso que eu me quero focar. O foco está na nossa liberdade, de cada uma de nós tem a sua essência, todas nós somos diferentes e não há nada mais bonito que a nossa individualidade.
Por isso, não tens o corpo todo definido? Não tens um cabelo de sonho? Não tem mal, és linda! Caso, sejas uma sortuda e eu invejo-te saudavelmente, e tens um corpo de sonho, um cabelo espetacular e uma pele maravilhosa? Não tem mal de igual forma, és linda!

Não tenham medo ou vergonha de serem quem vocês são e de como vocês são. 
Não tenhas medo de sair a rua e de seres tu própria, os padrões de beleza somos nós que os criamos.

Amem-se. Não só a vocês próprias mas umas às outras. 

Espero que tenham gostado deste pequeno desabafo, partilhem comigo o que acharam e partilhem com todas as vossas amigas. Vamos espalhar amor ❤

 

 

13 de Maio, 2020

Ansiedade: o que me ajuda.

Convém começar desde já este post dizendo que não somos todos iguais, que não vivemos todos com a mesma intensidade, que cada caso é um caso e cada um de nós tem um ritmo. E convém também ficar explicito que não sou psicóloga, não sou terapeuta e que vou falar da minha experiência pessoal e do que me ajuda a manter a calma.

Por isso,hoje decidi fazer um "apanhado" do que eu faço para (tentar) combater a ansiedade.

Primeiro vamos perceber o que é a ansiedade e para isso tive de obviamente recorrer ao nosso querido google porque já referi anteriormente que não tenho um curso superior em psicologia.
 "Ansiedade é caracterizada por um sentimento de tensão, preocupação e medo. É importante referir que a Ansiedade é um estado mental e emocional normal e útil ao ser humano, mas quando sentida sem uma razão aparente, ou de uma forma excessiva e continuada, torna-se num problema de saúde, ou seja, numa doença psicológica.

E quais são os seus sintomas? 

 ▶ Batimento cardíaco acelerado

 ▶ Pressão no peito

 ▶ Dificuldade em respirar
 ▶ Tensão muscular
 ▶ Suores frios
▶ Insónias"

(Retirado do site da Clínica da Mente, podem lá visitar que eles explicam tudo direitinho sobre ansiedade, depressão, ataques de pânico e muitos outros assuntos).

Sabendo já então o que é a ansiedade, vou enumerar algumas das coisas que me ajudam a mim a controlar este estado. 

▶ Exercícios de respiração. Para mim isto é chave quando estamos ansiosos ou mesmo quando temos um ataque de pânico. Saber respirar é fundamental e quando acordo naqueles dias menos bons faço sempre este exercício (que pode nem sempre resultar na sua totalidade mas atenua e acalma). Inspiro durante uns 5 segundos, tento guardar o ar dentro dos pulmões durante mais alguns segundos e expiro o ar lentamente pela boca. Repito algumas vezes e acreditem que para mim isso já me acalma imenso e a melhor parte deste exercício é que pode ser feito em qualquer lugar. Eu faço ao acordar porque por norma é ao acordar que eu me sinto mais ansiosa. 

▶ Evitar pensamentos negativos. Este é bastante difícil para mim porque não acredito em mim e nas minhas capacidades e é algo em que ainda estou a trabalhar mas ajuda-me imenso ter algo que me levante a moral, sejam imagens no Pinterest ou no Instagram. Ajuda imenso também falarmos abertamente sobre como nos sentimos com alguém porque para além de nos aliviar, a outra pessoa também pode ter o poder de nos acalmar e fazer perceber que está tudo bem. E temos principalmente de meter algo na nossa cabeça: somos nós que controlamos a nossa mente. É irónico, mas é assim mesmo.

▶ Hipnoterapia. Algo muito importante para mim, desde que comecei que sinto enormes progressos, não faz milagres porque o ponto de partida tem de ser dado por nós e não podemos esperar que todas estas coisas façam milagres porque não fazem. Tudo isto ajuda mas se não temos consciência de que temos de batalhar para ganhar esta guerra então nunca vai acabar e nunca vai haver melhorias. Mas voltando a hipnoterapia, acho que o nome diz tudo. É um tratamento onde através da hipnose tentam chegar ao ponto principal do nosso problema e a partir daí exploram-no de modo a minimiza-lo.

▶ Fazer exercício físico. Aqui é onde falho redondamente mas é uma grande ajuda porque faz com que se liberte o stress e faz-nos esquecer os problemas, para além de que faz bem não só a nossa saúde mental mas ao nosso corpo. 

▶ Ouvir música. Algo tão simples mas que nos faz tão bem. A mim sabe pela vida chegar a casa depois de um dia de trabalho e sentar-me no sofá, pôr os fones nos ouvidos e desligar do mundo. Nem que seja meia hora. Ouçam o que vos apetecer, o que vos animar, o que vos der vontade de dançar. Ouçam Anitta, eu recomendo (ahahah).

▶ Cuidar de mim. É muito complicado cuidar da minha imagem naqueles dias ou até semanas que me sinto completamente de rastos ou mais podre que um chapéu de um pobre. Mas tento ao máximo contrariar esta minha mente chata que me diz muitas vezes para o não fazer. Tomar um longo banho, fazer uma máscara, maquilhar-me. Criar rotinas de beleza, olhar-nos ao espelho e dizer "estás linda". Acreditem que melhora logo o dia de uma pessoa, não se deixem cair na facilidade e no desleixo. Mais uma vez repito, quem manda na nossa mente somos nós próprios.

 Ler um livro. Ou até mesmo pintar. Há em todos os hipermercados livros de colorir para aliviar o stress e a ansiedade, já experimentei e adorei. Só não faço mais porque não tenho mesmo disponibilidade para isso, nem jeito... Mas experimentem, vão gostar. 

▶ Relaxar antes de ir dormir. Esta faço até com o meu namorado quando estamos na cama prontos para adormecer, vamos ao Youtube e pesquisamos vídeos de relaxamento profundo. Maior parte são brasileiros mas não importa, ajudam a relaxar e isso já é meio caminho para termos uma boa noite de sono. 

▶ Ansíoliticos. A toma de qualquer comprimido deve ser receitada sempre por um médico. Cada caso é um caso e cada pessoa é cada pessoa. Não sou eu que vou sugerir a toma de nada e não vou incentivar a toma de nada porque todo este processo tem de ser acompanhado por um médico, seja médico de família ou psiquiatra. No meu caso, eu tomo em S.O.S e foi o que me foi receitado pela médica de família e nos dias em que realmente me sinto ansiosa os comprimidos ajudam a minimizar e a relaxar.  

Estas são as coisas que eu faço para aliviar a minha ansiedade, espero com isto poder de alguma forma ajudar quem se sente igual ou quem se sente um pouco desamparada. Estou e sempre estarei disponível para ajudar quem quer que seja no que for necessário e nunca se esqueçam que não estamos sozinhos nesta luta. 
13 de Maio, 2020

Ele.

Existe uma imensidão de maneiras de começar um texto e de conseguir uma introdução perfeita mas desta vez estou a ter uma pequena dificuldade porque não sei por onde começar. Se calhar, vamos voltar até ao inicio. Ao nosso inicio.

Eu tenho a certeza que o destino nos juntou aos dois naquele dia com um propósito. Há uma razão para naquele dia estarmos os dois exatamente à mesma hora no mesmo exato sitio. Lembro-me perfeitamente da primeira vez que os nossos olhares se cruzaram. Não foi mágico como nos filmes de romance que dão ao domingo a tarde mas foi especial, tão especial que repetimos a troca de olhares até eu ir embora ahah porém, não vou aprofundar muito na maneira como nos conhecemos porque é algo tão nosso, tão pessoal e sinceramente é uma história tão longa que ficávamos aqui a noite toda a falar só nesse assunto. 
Foi à quase 5 anos que nos conhecemos e quando o conheci a minha vida mudou. Fora de brincadeira, mudou mesmo. Estava sem ninguém à um ano e não queria ninguém, estava fora de questão eu apaixonar-me. Mas, há sempre o MAS, os dias iam passando e tudo se ia desenvolvendo, a nossa amizade, a vontade de o querer conhecer melhor e mais e mais. E eu não lhe facilitei de todo a vida, fui muito complicada, fui muito mázinha e só assim fui porque não queria mais uma paixoneta de verão, mais um affair, isso já não pegava comigo. Se queríamos mesmo que as coisas funcionassem, para mim, só iam funcionar a partir do momento em que tinha a certeza que era o tal. E não é fácil, depois da bagagem que ambos tínhamos do nosso passado, voltar a acreditar no amor.
Mas de facto voltamos a acreditar, a nossa relação foi crescendo, foi se tornando cada vez mais forte mesmo antes de sermos sequer namorados.
Eu não tenho uma relação perfeita, ninguém tem. Eu tenho uma relação imperfeitamente perfeita, com muitos altos e também muitos baixos, com fases super espetaculares e com fases que foram mesmo complicadas. E nas fases mais complicadas o que nos salvou, para além da persistência e insistência dele, foi a base de amizade que criamos um com o outro. Acho que esse é o grande segredo para a nossa felicidade, ele é o meu melhor amigo e eu sou a melhor amiga dele. E não há orgulho, não há chatices, não há nada que quebre a nossa amizade, só que lá está, nós funcionamos muito melhor como namorados e melhores amigos do que só como melhores amigos. (ehehe)
Eu considero-me uma sortuda. Por tudo que tenho passado, por todos os maus bocados que tenho vivido não há palavras para o companheirismo que ele me transmite, ele faz tudo por mim, faz tudo pelo meu bem estar e eu faço exatamente o mesmo por ele. 
Eu acho que nunca falei abertamente (na Internet) acerca do meu namorado ou da minha relação com ele e não o estou a fazer por ele ou para as pessoas verem e invejarem o homem espetacular que tenho do meu lado mas este blog é o diário da minha vida e é onde eu quero falar acerca de tudo o que me apetecer. E hoje apeteceu-me falar um bocadinho dele. 
E foi mesmo só um bocadinho porque nunca haverão palavras suficientes para escrever ou falar acerca da relação que temos ou do homem fantástico que tenho do meu lado. 
 
Para finalizar este primeiro texto acerca do meu amor, há uma frase que descreve a nossa relação desde o primeiro instante, que é de uma música dos Mind da Gap com o Sam The Kid - "O que sentes? Borboletas". E é exatamente o que eu sinto desde o primeiro dia que o conheci.
 
Amo-te Hugo ❤
 

67617118_1207891836001816_8709142753625243648_n.jp

 

13 de Maio, 2020

Rodeia-te de amor!

Durante toda a nossa vida temos de atravessar por diversas fases. Fases essas que nem sempre são as melhores ou positivas para nós e em qualquer uma dessas fases devemos ter sempre do nosso lado as pessoas certas. 

Nem sempre é fácil porque grande parte das vezes as pessoas não são o que pensamos ou não querem o melhor para nós. E atenção que não há nenhuma formula ou maneira de descobrir as intenções das pessoas mas com o passar do tempo vamos descobrir quem realmente pertence a nossa vida e quem não. 
Na minha opinião devemos sempre nos rodear de pessoas que ficam felizes com as nossas vitórias, que nos incentivam a ser melhores, que nos levantam a moral e que não nos deixam desistir de nada. Devemos manter do nosso lado aqueles que por mais difícil seja, estão lá e não nos largam a mão.
Eu rodeio-me de pessoas de quem eu gosto mas que também gostam de mim.
Sei que há muitas pessoas más e mais uma vez, há muita falsidade e por vezes achamos que temos os melhores dos nosso lado e nem sempre é assim. Mas neste momento da minha vida tenho só quem me quer bem do meu lado.
Assim ao rodear-me de quem me ama e só me quer bem, torna-se muito mais fácil ultrapassar todos os ciclos da minha vida. A todas as pessoas que eu tenho do meu lado, que me querem bem, só posso agradecer, não há palavras para descrever o amor que tenho e sinto na minha vida. 
É importante saber largar e é ainda mais importante meter os pontos finais necessários para o nosso bem estar. Por mais doloroso que seja, deixem só quem vos tem amor para dar na vossa vida.
 

Amor-próprio-e-recíproco-Frases-A-Vida-Escreve.j

 

13 de Maio, 2020

Viver com pressa

Porque é que vivemos sempre tão apressados? Neste presente que vivemos as pessoas não tem paciência para a família, para o trabalho, para os colegas. Há sempre azáfama no nosso dia a dia. Seja para entregar o trabalho a tempo, para irmos aquela reunião, para chegar a tempo a todos os nossos compromissos ou até para no meio do nosso dia caótico encontrarmos tempo para estarmos com as pessoas que gostamos e mesmo assim tem de ser super rápido porque logo de seguida tem algo mais importante para fazer ou na pior das hipóteses, não há tempo para tal acontecer. 

Hoje em dia os próprios pais não tem tempo para aproveitarem com os seus filhos, e falo de momentos de qualidade. A nossa própria vida não nos dá outra opção.
Mas será que somos nos que nos temos de adaptar a este tipo de vida ou somos nós que temos de fazer com que a vida se adapte à nossa maneira de viver? Como disse num texto anterior, cada um tem o seu ritmo, cada um vive a vida como quer. Mas acho que perdemos imenso tempo e energia em certas circunstancias e é desnecessário.
E contra mim falo, eu quero fazer tudo de uma vez, quero viver tudo de uma vez, quero melhorar num abrir e fechar de olhos. E estou a perceber que não dá. Há coisas que levam o seu tempo a melhorar, a evoluir, a viver!
A vida não tem de ser uma pressa. E tal como eu, há imensas pessoas que vivem exatamente da mesma maneira. 
Uma coisa que estou a aprender com esta adversidade da vida é a ter calma. A viver uma coisa de cada vez, a aceitar que as coisas levam tempo, que a corrida é gigante mas que a cada dia que passa estou mais perto da meta. Eu sou apenas uma, não sou imensa e enquanto eu der o meu melhor em tudo na minha vida, não tenho de me preocupar com mais nada.